inglês e emprego

Inglês é fator decisivo para recrutadores

Artigo publicado na exame em: https://exame.abril.com.br/negocios/dino/ingles-e-fator-decisivo-para-recrutadores/

Com o desemprego atingindo a 13,5 milhões de pessoas no Brasil, as vagas de emprego estão cada vez mais disputadas. Em alguns casos, está mais fácil passar no vestibular para o curso de medicina, um dos mais concorridos do país, do que conseguir um emprego. Por isso, o critério de seleção está mais rígido e o conhecimento na língua inglesa é fator decisivo para as áreas de Recursos Humanos.

De acordo com um estudo da Page Personnel, consultoria de recrutamento, o processo seletivo para o cargo de analista fiscal pleno, por exemplo, possui até 210 candidatos disputando uma vaga. Com tantos profissionais concorrendo, as empresas precisam estabelecer quais são as principais competências requeridas para identificarem quem são os candidatos mais bem preparados.

A professora Carla D´Elia, mestre em Letras Inglês pela USP, realizou recentemente uma pesquisa acadêmica que envolveu os responsáveis pela área de Recursos Humanos de 62 empresas. Este estudo apontou que 85% dos entrevistados consideram que o nível em inglês pode definir a escolha pelo candidato, sendo que 93% elegeram “Falar bem durante a entrevista” como a melhor forma de avaliar o conhecimento no idioma dos profissionais durante o processo seletivo.

No entanto, a pesquisa aponta que a avaliação oral é insuficiente para analisar as habilidades para interpretação e escrita de textos, competências profissionais que fazem parte do cotidiano da maioria dos cargos e que devem ser verificadas por meio do currículo em inglês e de testes escritos.

Elaborando o currículo

Para aqueles que buscam uma nova oportunidade de emprego, o primeiro passo é descrever da melhor forma qual é seu nível linguístico. Isso vale para qualquer idioma, não somente para o Inglês. Então, fique de olho nessas dicas:

– Usar somente os termos básico, intermediário, avançado ou fluente para descrever o conhecimento em um idioma pode não informar com exatidão o seu nível linguístico. O ideal é descrever suas habilidades, ou seja, o que você consegue realizar. Por exemplo, você pode descrever em seu currículo: Inglês Intermediário – apto a participar de reuniões presenciais ou por telefone, fazer viagens a negócios, ler e redigir e-mails.

– Adicionalmente ao nível do idioma, é interessante acrescentar informações de acordo com os requerimentos da vaga a qual você vai se candidatar. Você pode incluir o resultado em um teste de proficiência, uma experiência prévia com idioma no trabalho e até a experiência como aluno, se está estudando a língua atualmente e com qual objetivo.

– Traduza o seu currículo e seu perfil no Linkedin, maior rede social profissional, no idioma requerido, principalmente se a vaga está anunciada em Inglês ou em outra língua estrangeira.

Como se preparar para uma entrevista

Quando o candidato for chamado para uma entrevista de emprego que requer o conhecimento no idioma, é necessário se preparar para entrevista:

– Pratique anteriormente. Simule a conversação com o recrutador, imagine-se respondendo às perguntas e falando sobre suas habilidades. Se preferir, você pode contratar um professor para treinar as entrevistas. Existem profissionais especializados em preparar candidatos para processos seletivos em língua estrangeira.

– Estude o seu currículo em inglês e os termos mais utilizados profissionalmente, inclusive os termos técnicos ligados à sua área de atuação.

A professora Carla D´Elia reforça: “o nível linguístico requerido varia de acordo com a função para qual a empresa está buscando um profissional. Quanto maior o nível do cargo, maior será o grau de exigência no conhecimento da língua. Portanto, o candidato deve se concentrar em aprimorar o idioma de acordo com as atividades que serão realizadas por ele segundo a descrição da vaga.”

Deixe seu comentário: